fbpx Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna | Neurocirurgia.com
De volta ao topo

Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna

 

O que é a cirurgia minimamente invasiva da coluna?

É um conjunto de procedimentos que visa o tratamento das doenças da coluna de uma forma menos agressiva para o corpo e, desta forma, trás uma recuperação mais rápida, um retorno mais rápido às atividades profissionais e habituais, e também apresenta menor risco de complicações cirúrgicas e pós-operatórias. Por exemplo, o risco de sangramento e infecção é menor, haja visto que os cortes são menores e em muitos destes procedimentos, até mesmo inexistentes, pois podem ser feitos com agulhas ou com auxilio de endoscópio

 

Para que tipo de doença ou paciente essas técnicas estão indicadas?

As principais doenças tratadas com estas técnicas são as doenças degenerativas da coluna, que incluem as famosas hérnias de disco e os famosos bicos de papagaio. Outras doenças como fraturas, tumores e deformidades, também podem, muitas vezes, serem tratadas por técnicas minimamente invasivas da coluna. Porém os principais alvos são aqueles problemas relacionados à hérnia de disco. 

 

O que causa a hérnia de disco?

Bom, é uma doença degenerativa, então o paciente apresenta uma predisposição genética. Associa-se a isso, o envelhecimento da coluna; e, o único fator que podemos modificar, são os fatores ambientais. Postura inadequada, exercícios físicos feitos de forma errada, de mais ou de menos, também podem predispor ou agravar quadros de hérnia de disco. Algumas atividades profissionais também podem predispor. Mas é importante ressaltar a predisposição genética, existem pessoas que fazer tudo errado e não têm hérnia de disco, e outros que fazem tudo certo e acabam sofrendo com esse problema.

 

Quando que o paciente com hérnia de disco precisa realizar cirurgia?

90% das hérnias de disco melhoram com o tratamento clínico, ou seja apenas 10% vão precisar de cirurgia, mas como é uma doença muito frequente, realizam-se muitas cirurgias de coluna. Quando o paciente apresenta dor incapacitante, ou algum sintoma neurológico associado como perda de força ou sensibilidade, é um candidato a cirurgia. Caso o paciente não esteja melhorando com o tratamento clínico, também é candidato ao tratamento cirúrgico.

 

Uma grande preocupação dos paciente é o risco de sequela com uma cirurgia na coluna. Este risco é real? 

Hoje em dia, utilizamos técnicas muito seguras e que minimizam ao máximo esse risco. Geralmente os pacientes conhecem um vizinho ou um amigo que fez uma cirurgia de coluna e está muito mal, não melhorou ou ficou com uma sequela…. É importante entender que um dos objetivos da cirurgia é justamente evitar que o paciente evolua com tal sequela, então não devemos generalizar essas situações, pois não dá pra saber o que aconteceu com esses casos, é uma doença com uma variedade muito grande de apresentação. Uma hérnia grande pode causar sintomas apenas transitórios em um paciente, enquanto uma hérnia pequena pode causar disfunção neurológica grave em outro paciente… As cirurgias apresentam um risco que é controlável.

 

Como que é feita esta cirurgia? Como é a anestesia? Quanto tempo precisa ficar internado?

Eu vou ressaltar aqui a cirurgia endoscópica, pois é um método minimamente invasivo que vem crescendo bastante no país e que possui uma gama maior de aplicação clínica. Para uma hérnia de disco lombar simples, por exemplo, a cirurgia é feita em regime ambulatorial, ou seja, o paciente recebe uma sedação e uma anestesia local, a cirurgia dura cerca de 40minutos a 1 hora, pode levantar logo após a cirurgia e vai embora em torno de 2 a 3 horas após a cirurgia. 

 

Quanto tempo de recuperação o paciente precisa depois de uma cirurgia minimamente invasiva pra hérnia de disco? Precisa ficar afastado por muito tempo?

A recuperação depende muito do paciente e do tipo de doença que ele apresenta, mas de uma forma geral, deixamos 1 semana de repouso em casa e logo reavaliamos para liberar para atividades. Profissões administrativas podem ser retornadas em 10 a 14 dias, mas é importante reservar um tempo para a reabilitação que é geralmente iniciada 1 a 2 semanas após o procedimento. E aos poucos, vamos liberando para atividades que exijam mais esforço.

 

Quais são as vantagens da cirurgia endoscópica da coluna, quando comparada com a cirurgia convencional?

De uma forma geral: menor tempo de cirurgia, menor risco de sangramento ou de infecção, sem necessidade de anestesia geral, retorno mais rápido às atividades habituais e profissionais, menos dor pós-operatória já que o corte é menor ou até mesmo inexistente e a musculatura é discretamente mobilizada e separada, ao contrário do que acontece nas cirurgias convencionais que a musculatura precisa ser “descolada” do osso.