Salto alto causa dores e problemas na coluna?
20 de dezembro de 2022
Fratura por osteoporose pode causar déficits neurológicos
25 de janeiro de 2023

Bicos de papagaio ou osteofitos: o que você precisa saber

Você já deve ter ouvido a expressão popular bicos de papagaio associada a problemas na coluna vertebral e dores nas costas. Mas muitas são as dúvidas a respeito do que são? Por que acontecem? Como identificar e tratar? Entenda a seguir:

Uma defesa natural do organismo

Bicos de papagaio é o nome popular para a condição médica oficialmente conhecida como osteofitos que, resumidamente, são crescimentos ósseos anormais sobre articulações. Podem afetar tanto a coluna vertebral quanto outras partes do corpo, como joelhos e quadril. 

A coluna possui vértebras (ossos) e discos entre as vértebras, cuja função é amortecer os impactos dos nossos movimentos. Com o passar do tempo, essa flexibilidade e funcionalidade pode ser prejudicada por uma série de fatores, como envelhecimento, má-postura, predisposição genética, doenças e traumas. 

Desse processo degenerativo, que ocorre em numerosas etapas, se o paciente tiver os fatores de risco — mais associados à genética, idade e estilo de vida — o corpo pode entender que certas articulações devem ser imobilizadas. Assim começa a formar, lentamente, massa óssea para proteger as articulações e, em estágios mais avançados, imobilizá-las ao fundir duas ou mais vértebras.

Atenção aos sintomas

A identificação costuma acontecer após o paciente sentir dores e limitação de movimentos nas costas. Em consultório, o médico especialista percebe as formações já no exame físico, que pode ser confirmado com imagens de radiografia. 

Ossos que crescem sobre as articulações, geralmente próximas a ramificações nervosas, podem comprimir nervos, causar muita dor e prejudicar o funcionamento da parte afetada.

É importante saber que osteofitose não tem cura, mas adotar um estilo de vida saudável, que envolve a execução correta de exercícios físicos, assim como manter uma boa postura no dia a dia, ajudam a evitar o agravamento da doença.

O controle pode ser feito por meio do tratamento clínico, com medicamentos e fisioterapia. Em casos em que há a compressão de nervos, cirurgias podem ser indicadas para realizar a descompressão e aliviar a dor.

Para saber mais sobre este assunto e conhecer as dicas de postura para o cotidiano, convido você para assistir a este vídeo no canal do Instituto Amato no Youtube:

Por Redação
Por Redação
Dr. Marcelo Amato - CRM: 116.579 Médico e Neurocirurgião pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP); Doutor em Neurocirurgia (Clínica Cirúrgica) pela Universidade de São Paulo (FMRP-USP), orientado pelo Prof. Dr. Benedicto Oscar Colli; Especialista em Neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) e pela Associação Médica Brasileira (AMB); Especialista em Cirurgia de Coluna pela Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e Associação Médica Brasileira (AMB); Linha de Pesquisa em Cirurgia Endoscópica da Coluna desde 2013 pela FMRP-USP com diversos artigos e livros publicados nacional e internacionalmente; elaboração de aulas e cursos nacionais e internacionais sobre Endoscopia de Coluna, e realização de consultorias em todo território nacional; Neurocirurgião referência do Hospital de Força Aérea de São Paulo (HFASP); Diretor do Amato - Hospital Dia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

gdpr-image
Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao usar este site, você concorda com nossos Politica de Privacidade.
Leia mais